fbpx

Cenas da Semana – edição 154ª

por | 29/04/2021 | Notícias

Governo falha na gestão de crise e revela aos adversários a estratégia de defesa para a CPI da Covid no Senado

(Sérgio Lima/Poder360)

É, sem dúvidas, uma das lições de Direito mais populares: ninguém é obrigado a criar provas contra si. Na gestão de crise destinada a construir a defesa na CPI da Covid no Senado, o governo Jair Bolsonaro adotou a contramão. Uma tabela foi criada listando 23 acusações frequentes sobre a gestão da pandemia e que têm potencial de criar embaraços. A ordem da Casa Civil era que 13 ministérios criassem respostas sobre temas espinhosos como falta de oxigênio, negacionismo, negligência na compra de vacinas, genocídio de indígenas, disseminação de fake news e uso de hidroxicloroquina. O documento vazou, foi publicado pelo portal Uol e descortinou a estratégia do Palácio do Planalto, municiando adversários.

O governo minimizou o episódio dizendo se tratar de um relato dos assuntos mais óbvios. Mas o caso se notabilizou por se tratar de um equívoco primário. O Cenas trará nas próximas edições de como atuar para evitar ou gerir crises.

A crise se avizinha ou não pode ser evitada? Saiba o que fazer:

  •  Criar um comitê de crise formado por pessoas de confiança;
  • Analisar o contexto em que as acusações estão inseridas;
  • Ter o máximo de informações sobre as acusações;
  • Fazer uma auditoria da crise para observar vulnerabilidades e riscos;
  • Treinar os porta-vozes com uso de mensagens-chave;
  • Elaborar um plano de comunicação para identificar todos os stakeholders.

O plano de ação facilita a gestão e, se acionado passo a passo, evita que a crise seja tratada apenas com um conjunto de respostas prontas.

Boticário relança perfume para manter viva relação entre mãe e filho morto pela Covid-19

(Imagem/Arquivo pessoal)

Numa iniciativa inédita, a marca de perfumes Boticário materializou saudade em perfume. Relançou a fragrância Annete – fabricada a partir de 1984 e retirada de circulação anos depois – para amenizar o luto de uma mãe que perdeu o filho para a Covid-19. Fazia parte do ritual da artesã Wanda Terra passar algumas gotinhas do perfume toda vez que ia receber a visita do filho Alexandre Terra. Em 4 de março, Alexandre morreu aos 46 anos. Ao levar os objetos pessoais do cunhado, a advogada Karyne Leão flagrou dona Wanda consternada e abraçada a um último vidro do Annete, com menos de um dedo de perfume. “Ele dizia que esse perfume tinha cheiro de mãe”, justificava.

Karyne até tentou minimizar a dor e logo foi a uma loja da Boticário, mas foi informada que a fragrância não podia mais ser vendida. Ela então resolveu recorrer às redes sociais e a história rapidamente viralizou.

Comovido, o fundador da marca, Miguel Krigsner, resolveu agir. De próprio punho, escreveu uma carta à dona Wanda. Contou a novidade: algumas unidades da fragrância chegariam à casa dela. E aproveitou para revelar que a filha foi inspiração para o perfume. “Queria te contar que Annete é minha primeira filha e que o perfume foi criado por ocasião do seu nascimento”, disse na carta manuscrita.

O “novo” Annete traz na caixa o nome da dona Wanda e no verso da embalagem os dizeres “Em memória de Alexandre Terra”. Se ainda não inventaram remédio para a dor da perda, a iniciativa mantém vivo o cheiro da relação de amor entre mãe e filho.

Tênis virtual é a nova aposta da Gucci para o universo gamer e as redes sociais

(reprodução/voguebr)

Imagina usar um dos modelos de tênis da marca de luxo italiana Gucci – que facilmente ultrapassa os R$ 3 mil – por apenas a partir de R$ 45 e receber o produto imediatamente. Não se trata de promoção ou extrema eficiência na entrega. Visando atingir o público jovem, a grife lançou o Virtual 25, o tênis que pode ser usado em plataforma de games como Roblox ou VRChat, além do aplicativo da marca. São 26 modelos que trocam o efeito de couro de cobra ou da abelha por cores vivas como rosa, azul e verde fluorescentes. O símbolo da marca vai na orelha, lateral e na sola do calçado. A criação diretor criativo da Gucci, Alessandro Michele, parece algo excêntrico, mas atende uma demanda não apenas do universo gamer, mas das redes sociais, sobretudo Instagram e Tik Tok.

Não é a primeira vez que a empresa fabrica produto para o digital. Aficionados pelos jogos Pokemón Go e The Sims podem comprar roupas Gucci para seus personagens.

A expectativa é a de que parte das receitas das marcas passem a ser conquistadas num futuro breve no ambiente virtual.

O tênis pode ser adquirido por US$ 12,99 no aplicativo oficial da Gucci ou por US$ 8,99 no aplicativo de tênis AR Wanna Kicks. Para usar, basta apontar o celular para o pé que o calçado aparecerá imediatamente. Se servir de consolo, o tênis não estraga não precisa ser lavado. Portanto, não precisa ser colocado atrás da geladeira para ser usado no dia seguinte.