fbpx

Com contexto, sem noção

por | 16/07/2021 | Impressões

Há duas semanas, a ex-jogadora de vôlei Fernanda Venturini publicou um vídeo nas redes em que disse: “Eu sou contra vacina, mas como eu quero viajar o mundo… eu vou tomar a Pfizer que eu acho que é a menos pior”. O mundo caiu sobre a cabeça da medalhista olímpica, que voltou às redes para dizer que a fala estava sendo reproduzida fora de contexto. Tem sido assim quando alguém se vê seriamente contestado.

Consequência mais grave teve o discurso do apresentador de TV Sikera Jr.. Em reação a um anúncio do Burger King que mostrava a compreensão das crianças sobre famílias homoparentais, ele disse: “Vocês não têm filhos, não procriam, não reproduzem. Eu cheguei à seguinte conclusão: vocês precisam de tratamento. Que tara é essa de pegar as crianças do Brasil? Se você quer dar esse rabo, dê, mas não leve as crianças. Isso é pedofilia e abuso infantil. Preconceito existe e isso nunca vai ser normal para um homem de bem, um homem de família.”

Diante da péssima repercussão, Sikera Jr. pediu desculpas no dia seguinte. Mas o recuo não foi suficiente para reverter o estrago. Desde o começo de julho, seu programa Alerta Nacional, o de maior audiência da Rede TV, já perdeu mais de 40 patrocinadores e anunciantes como Ford, Casas Bahia e Caixa.

A decisão de cortar o investimento no programa foi própria das empesas ou resultado da pressão do Sleep Giant, o grupo de ativistas digitais que combate discursos de ódio pressionando as fontes de financiamento de quem propaga o preconceito.

Quem se vê acuado ou constrangido costuma dizer que as declarações foram tiradas de contexto, mas o vídeo de Fernanda (https://twitter.com/i/status/1409157536066977797) e a fala de Sikera, retirada do ar pelo YouTube, falam por si. Mas não falam para todos.

Preso esta semana por bater na ex-mulher diante da mãe dela e da filha do casal, de apenas nove meses, Iverson Araújo, o DJ Ivis, ganhou 300 mil seguidores nas redes sociais depois que as imagens das agressões foram divulgadas pelas vítimas – e antes de suas contas serem tiradas do ar.

Crédito(foto): Reprodução/TV A Crítica