Pix: Inovação, agilidade e segurança: Arena de Ideias responde principais dúvidas

por | 15/10/2020 | Arena de Ideias

Considerado uma revolução para o setor financeiro, o Pix ainda suscita muitas dúvidas nos usuários, especialmente em questões envolvendo a segurança nas transações e os riscos de fraude. O cadastramento das chaves do novo sistema de pagamento eletrônico teve início no último dia 5 e, segundo o Banco Central, cerca de 33 milhões de chaves já foram cadastradas.

O webinar semanal Arena de Ideias, transmitido nesta quinta-feira (15), trouxe especialistas para esclarecer as principais dúvidas sobre o Pix e as futuras inovações tecnológicas do setor financeiro.

Participaram do debate o chefe do Departamento de Competição e de Estrutura do Mercado Financeiro do Banco Central, Ângelo Duarte; o presidente da Associação Brasileira de Internet (Abranet), Eduardo Neger; o superintendente global de inovação do Banco Santander, Árley Moura; e a diretora de Enfrentamento de Crise e Consultoria da In Press Oficina e diretora de atendimento do Banco Central, Sônia Filgueiras. A diretora do núcleo de relacionamento com Poder Público da In Press Oficina, Fernanda Lambach, fez a moderação do bate-papo.

A “chave Pix” é a informação que vai identificar um cliente e a conta bancária no sistema. Essa chave poderá ser um número de celular, um e-mail, o CPF ou o CNPJ. As principais características do sistema são a disponibilidade 24 horas por dia, a velocidade das transações, a conveniência nas possibilidades de pagamento e a maior concorrência entre as instituições financeiras. Além da economia quando comparado aos já existentes TED e DOC.

 

Confira as principais perguntas e respostas sobre o Pix e o futuro do setor financeiro:

 

Como a tecnologia amplia competitividade do setor financeiro?

“Usando a tecnologia você consegue atingir uma quantidade grande sem precisar ter uma estrutura física. Isso coloca o mercado num cenário de competição nunca visto. O Pix é um dos elementos que está entrando nessa revolução, que vai passar depois por outro tópico, o open banking. O sistema financeiro está ficando cada vez mais com cara de internet. O Pix é a internet dos bancos”, destacou Neger.

 

Os bancos serão prejudicados com o Pix?

“O banco não perde com o Pix, ganha muito em competitividade. Acho que o Pix agrega muito como um meio de pagamento, não como um atravessador no meio. Com a adoção do open banking cada vez mais veremos as big techs virando ‘bancos’ e, em contra partida, os bancos virando cada vez mais empresas de tecnologia. O banco vê isso mais como uma oportunidade do que como uma ameaça”, disse Moura.

 

Com a entrada do Pix, o DOC e o TED serão extintos?

“O Pix é mais um meio de pagamento no mercado. Nenhum meio de pagamento administrados pelo Banco Central, como DOC, TED ou boleto serão descontinuados e continuarão funcionando. Mas o Pix tem claramente um mar de vantagens em relação a esses três que eu mencionei”, ressaltou Duarte.

 

O cadastro de chaves do Pix cresce exponencialmente. Como evitar fraudes?

“O primeiro ponto é que não existe tentativa de fraude no sistema do Pix. O que existe são golpistas que criam sites falsos, mandam mensagens tentando capturar a atenção dos cidadãos, uma isca, e capturam de formas ilegais os dados das pessoas. As transações com Pix e o cadastramento com chaves são realizadas num ambiente logado, no aplicativo da sua instituição. Se receber um link por email ou celular, pode desconfiar”, afirmou Duarte.

 

Haverá um limite financeiro para as transações com Pix?

“O banco vai estabelecer esses limites. Ele pode estabelecer limites para o horário noturno, em que as pessoas fazem menos pagamentos e existe mais riscos de fraude. Mas esses limites têm um ponto importante: são os mesmos que as instituições impõem em outros meios de pagamento”, revelou o diretor do Banco Central.

 

Como a comunicação pode ajudar bancos, fintechs e Banco Central a informar a população?

“Toda mudança gera ansiedade e a comunicação tem o papel de garantir que todos estejam bem informados. Para que as pessoas estejam seguras ao usar o sistema, a agilidade, a inovação tecnológica. São todos aspectos importantes para aplacar essa insegurança. Vejo a comunicação como um instrumento para fazer dar certo. A comunicação é uma ferramenta importante para que toda a cadeia se engaje”, reforçou Sônia.

Arena de Ideias | O impacto da tecnologia no futuro do setor financeiro. Assista na íntegra:

O Webinar Arena de Ideias da In Press Oficina acontece toda quinta-feira no nosso canal do YouTube.

Leia mais conteúdos sobre enfrentamento de crise que preparamos para você: