Saúde digital ganhará mais espaço na formulação de políticas públicas

por | 13/05/2020 | Impressões

Fonte: Adobe Stock

Parlamentares da comissão externa que acompanha ações de combate ao coronavírus ouviram, hoje (13/5), as experiências de uso de inteligência artificial no combate à pandemia de Covid-19 em Santa Catarina.

O convidado para o debate, Ademar Paes, presidente da Associação Catarinense de Medicina, disse que a atuação no gerenciamento da crise sanitária se assemelha com o que foi implementado em Singapura e Israel. Por meio dele, gestores conseguem informar ao governo sobre leitos de UTI e respiradores disponíveis, a disponibilidade médicos e a localização da população, o que facilita o desenho de estratégias para o envio de mensagens a pessoas que estão sob risco.

Startups mobilizadas
A demanda crescente por soluções para mitigar a crise de Covid-19 gerou desafios que mobilizam diversas startups brasileiras. Essas empresas, que inovam e entram na economia para trazer negócios disruptivos e substituir processos estagnados, chamam a atenção de diversos setores da economia, do governo e do Parlamento, que encabeça um Marco Legal para o setor.

Apesar de o governo federal ter sinalizado que priorizará o PLP 146/19, que cria o Marco Legal das Startups e é assinado pelo presidente da Frente Parlamentar da Economia e Cidadania Digital, deputado JHC (PSB/AL), a matéria segue em comissão especial na Câmara dos Deputados sem grandes movimentações.

TICs serão centrais para otimizar sistemas de saúde
Conforme o Pacote de Ferramentas da Estratégia Nacional de e-Saúde, elaborado pela Organização Mundial de Saúde em conjunto com a União Internacional das Telecomunicações (OMS/UIT), a construção de uma Estratégia de Saúde Digital deve ser desenvolvida com o objetivo de utilizar recursos de tecnologias da informação e comunicação (TIC) para resolver problemas do sistema de saúde.

Diante das tecnologias disruptivas como a internet das coisas (IoT), o Big Data e a computação na nuvem, a informação pode se tornar mais fluida e presente a cada dia, especialmente nos tempos atuais em que o distanciamento social demanda ainda mais da cultura do compartilhamento de informações.

Startups, criatividade e inovação serão a receita do Arena de Ideias de amanhã. Bora?

Em meio às dificuldades impostas por um momento conturbado, a inventividade e a colaboração podem trazer confiança e propósito. Amanhã (14/5), no Arena de Ideias, mergulharemos no mundo da inovação e da criatividade em tempo de Covid-19. Vamos bater um papo especial com Iseli Reis, CEO da Fleximedical Soluções em Saúde, Matheus Rodrigues, CEO da Mamba Labs e Patrícia Marins, sócia-diretora da In Press Oficina, especialista em gestão de crise e reposicionamento de marcas. 

A Fleximedical, que nasceu na USP, tem como objetivo levar a saúde de qualidade aos mais vulneráveis. Com a experiência de usar contêineres para transformar em consultórios médicos e centros de cirurgia, a empresa tem colocado sua técnica à disposição de hospitais de campanha, possibilitando, por exemplo, o desenvolvimento de ambientes adequados para a realização de tomografias. 

A pernambucana Mamba Labs criou o aplicativo Dynamic Contact Tracing (Dycovid), que, desde 30 de abril, realiza o mapeamento do risco de contaminação por meio da identificação da proximidade entre os celulares dos pernambucanos. A ideia surgiu em uma competição e já pode ser baixada pelo site do Ministério Público de Pernambuco. Solução disponível para o sistema Android e, em pouco tempo, para IOS.

O webinar acontece às 9h30 e as inscrições são feitas pelo link: http://web.inpressoficina.com.br/webinar-6

Pela primeira vez desde o início da crise, Ministério da Saúde cancela coletiva

Fonte: REUTERS/Ueslei Marcelino

Hoje (13/5), um fato inédito chamou a atenção na Esplanada. Pela primeira vez desde o início da epidemia de Covid-19 no Brasil, o Ministério da Saúde cancelou a coletiva de imprensa diária. Havia a expectativa de que a matriz de isolamento social direcionada para estados e municípios fosse apresentada. Nada aconteceu.

Oficialmente, o Ministério afirma que ainda aguarda pactuar a estratégia junto aos gestores estaduais e municipais. O ministro da Saúde, Nelson Teich, estaria enfrentando resistência não apenas de governadores, prefeitos e secretários estaduais, mas dentro da própria Casa.

O cancelamento ocorreu justamente depois de o presidente Jair Bolsonaro anunciar que se reuniria com Teich para discutir a liberação da cloroquina. O ministro adota postura mais cautelosa que Bolsonaro e, por isso, se tornou alvo de apoiadores do presidente nas redes sociais. A situação aumenta o burburinho de que, apesar do pouco tempo no cargo, Teich já estaria sofrendo um processo de fritura.

Empresas da área da Saúde, acostumadas a dialogar com o governo federal e defender causas em Brasília estão impressionadas com as repentinas mudanças na paisagem humana do Ministério da Saúde. Na hora do almoço, a Veja publicou que 37 militares deverão assumir cargos na pasta. Os processos estariam tramitando internamente.

Mais tarde outro secretário foi demitido: o administrador de empresas Francisco de Assis Figueiredo, que era responsável pela Atenção Especializada à Saúde. As notícias são as de que o Centrão já pleiteia a vaga. O primeiro da fila seria o PL do ex-deputado Valdemar Costa Neto.

O conselho

Hashtags do dia

Números do dia

Fonte: Ministério da Saúde

Você conta com os times de Public Affairs e Comunicação Digital em Brasília. Somos especializados em:

  • monitoramento de redes sociais
  • business intelligence
  • treinamento de porta-vozes
  • mapeamento de stakeholders
  • monitoramento do ambiente de poder
  • pesquisas junto ao Executivo e Legislativo
  • estratégias de Public Affairs
  • advocacy
  • soluções LGPD
  • comunicação estratégica
  • conteúdo para redes sociais
  • comunicação digital